THIS CONTENT IS
CURRENTLY UNAVAILABLE

Olá, pessoal da Academia!

José Roberto Rodrigues      segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Compartilhe esta página com seus amigos

Estamos chegando com uma conversa que abrange a todos nós, cotidianamente, que são os textos de nossas publicações.


Por mais experientes e publicados que sejamos, essa questão impera em nossos conscientes, individuais e coletivos: como melhorar meu texto em relação à pergunta de pesquisa, à introdução, à metodologia, como sustentar, cientificamente, a minha discussão e como, por fim, registrar a minha conclusão de maneira a revelar a importância de minha investigação? Todas essas particularidades que integram o texto científico serão aqui explicitadas, de modo a serenizar as mentes que se propõem a singrar pelo caminho insofismável da ciência.

Para os pares a quem me dirijo, desde já, asseguro que não há unanimidade nesse setor, mesmo porque as normas são compiladas seguindo o lógica mental dos seus autores e, quase sempre, em obediência às diretrizes da instituição educacional a que pertencem. Iremos nos dispor às normas usuais recomendadas pela ABNT e às mais vigentes no campo da normalização científica de todo o mundo.


Uma outra coisa: convenhamos que já está mais que na hora desse pedantismo gráfico-textual deixar de existir e nos libertar dessa escravidão literária que assola e limita a criação científica, principalmente, dentro da própria academia. A ciência deve ser soberana, neutra, impessoal e livre desses adereços normativos, que só nos atrapalham e nos levam a um estresse cada vez mais pernicioso. Se à ciência cabe o atributo de ser uma verdade confirmada, deverá ela ser, como tal, livre das subjetividades vaidosas de seus promotores, que por evidentes indícios particulares e institucionais, a expõe de maneira pouco inovadora, coisa e fato que ela, ciência, não é e nunca será! Basta conhecer um pouco da História da Ciência para percebermos como ela tem se desenvolvido, desde os primórdios dos séculos, posicionando-se com mais atitude de Copérnico para cá.


Assim, caros leitores, iremos periodicamente expondo nossas reflexões e opiniões que, com absoluta certeza, serão melhoradas, remodeladas e embelezadas pelas opiniões abalizadas de todos vocês. Imploramos, se assim o podemos fazer, pelas notificações de vocês, com as quais esse blog se sustentará.


Um abraço a todos, obrigado e, até mais.

Comentários

Outros artigos

O que Oxalá e Alá têm em comum?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Erros de tradução que mudaram a História – Parte 2

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Literatura online - aprendendo com as feras

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Erros de tradução que mudaram a História – Parte 3

quarta-feira, 2 de setembro de 2015