THIS CONTENT IS
CURRENTLY UNAVAILABLE

2018 nem acabou e 2019 já está querendo sua atenção

Mônica Pires      sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Compartilhe esta página com seus amigos

 

Essa é uma mensagem de fim de ano um tanto diferente.

Estava arrumando o escritório essa semana e fui ficando sorridente com as lembranças das coisas que consegui realizar nessa reta final de 2018. Parece bobagem, mas arrumar uma estante de livros que passou o ano desorganizada pode ser pouco para uns, mas para mim, foi uma das melhores conquistas desse mês que finda o ano. Fui separando livros que não faziam mais sentido para mim até que um pensamento brotou: Como dar lugar ao novo se a gente não desapega do velho? E fui além: como fazer com que mais coisas boas aconteçam em nossas vidas se a gente segue fazendo tudo do mesmo jeito?

Cada vez que a gente simplesmente aceita as condições das nossas vidas sem brigar pelo que a gente quer, a gente se coloca na derrotista posição de fazer tudo ao sabor do vento. A estante vai ficando um pesadelo, as roupas vão se embolando no fundo do armário, o relacionamento vai ficando sem sentido, a amizade vai sendo esquecida, a gente não toma sol, não termina a leitura, a saúde vai sendo negligenciada. E há quem não se dê conta de como tudo foi ficando tão ruim... Isso não é nenhum conselho para você jogar fora tudo o que já conquistou até aqui ou que pense que nada de bom acontece ou que tudo é difícil demais para você. Isso é, na verdade, um incentivo para que você reflita sobre o que quer que aconteça com você amanhã, mês que vem, ano que vem.

Qual seu desejo para 2019? O mais simples querer, o mais complexo, o querer para si, para o país, para a comunidade? Minha dica para esses poucos dias que ainda restam em 2018 é que você faça uma pequena lista com 4 categorias, assim, ó:

1- Desejos simples:
2- Desejos complexos:
3- Coisas que não quero adiar mais:
4- Coisas que não quero mais:

Na lista 1, coloque coisas simples como "tomar uma cervejinha com a tia Isis" ou "aprender a fazer o tempero que minha avó fazia", por exemplo. Coisas super possíveis de acontecer e que nunca acontecem, por falta de tempo ou desalinhamento dos planetas. Outros exemplos? Aprender a fazer sushi, ir ao teatro, estudar mais, começar um jardim de ervas em casa. Liste coisas possíveis pelas quais sempre teve interesse.

Na lista 2 você coloca os desafios. Todos possíveis, sim, mas que sejam mais elaborados, como por exemplo participar de um programa de voluntariado, buscar um estágio remunerado, começar aquela dieta horrorosa (porém, necessária), começar aquele curso gratuito EAD ou dedicar-se a algum projeto novo. Tudo isso toma tempo maior, por isso são complexos, mas não são inviáveis. Depende mais do seu querer do que de fatores externos, muitas vezes.

Na lista 3 a gente coloca as coisas que fazem nosso coração sambar e que viram resolução de ano novo, mas nunca se concretizam. É a lista que você tem que amar, a que merece sua dedicação, seu foco. Um tempo atrás, coloquei "sair do meu emprego atual e viver de tradução". Ficou na minha lista uns bons 5 anos! Pode ser que na sua lista algo se repita ano após ano também. Fazer seu mestrado, fazer um intercâmbio, estudar um idioma... Nem sempre o dinheiro é um problema, pois há iniciativas gratuitas disponíveis. O maravilhoso dá um trabalho danado... Achar que só os outros conseguem dá menos trabalho do que dedicar 10 minutos por dia para conquistar o que mais deseja e fazer por você o que ninguém faz; nem amigo, nem parente, nem governo, nem ONG, nem ninguém. Só você.

Na lista 4 a gente coloca aquele montão de desapego. O que você quer eliminar da sua vida em 2019? Gente tóxica, trabalho que não tem nada a ver com o que a gente gosta, o sedentarismo, os vícios, o medo, as dívidas, a vergonha de chegar naquele "crush". Nada é fácil. A gente se acostuma com nossos problemas e tem hora que nem consegue imaginar como é viver sem eles. Mas eles fazem mal e impedem a gente de melhorar como profissionais, como mães e pais, como pessoas.

Nesses poucos dias de 2018, liste seus sonhos e tenha o prazer de, em 2019, ir riscando cada item, pouco a pouco, contribuindo com seu sentimento de realização. Seja pela sensação boa de conseguir tomar a prometida cervejinha com minha tia ou pela alegria de poder dizer para minha mãe que aprendi a fazer o tempero da vó, não importa... Seja você aquele que traz a realização para sua vida. Há quem prefira o apego à ideia de que nem todos têm a mesma oportunidade. Venho de uma família de 11 tios e tias e as coisas não foram lá tão fáceis. Tenho tios que iam descalços para a escola, mas ainda assim conseguiram fazer faculdade e têm uma vida melhor do que a que tiveram seus pais. É sempre melhor apegar-se ao que a gente deseja do que ao que nos impede de sonhar.

Estou feliz de ter riscado muita coisa da minhas listas e de ter cumprido com meu compromisso comigo mesma. Quebre seus grandes desejos em pequenos pedaços e trabalhe todos dias um pouco para realizar o que pensou para seu novo ano. No final, juntando as diversas pequenas partes, terá uma visão grandiosa de sua perseverança. É o que desejo a você nesse ano novo que já bate à nossa porta. Desejo a você a sensação incrível de controle da sua vida e de completude com cada pequena vitória, todos os dias.

Um abraço. Feliz Natal e um belo 2019.


A Tradupoints (que saiu da minha lista 3!) disponibiliza seus serviços de tradução, interpretação de conferência, revisão e curso de inglês de fim específico (aviação e acadêmico).

Para contato, é só mandar uma mensagem pelo Whats App no botão abaixo ou um e-mail para contato@tradupoints.com.br.

 

Comentários

Outros artigos

O que Oxalá e Alá têm em comum?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Erros de tradução que mudaram a História – Parte 2

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Literatura online - aprendendo com as feras

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Erros de tradução que mudaram a História – Parte 3

quarta-feira, 2 de setembro de 2015